Aos 102 anos, Manoel de Oliveira filma nos arredores de Paris

O cineasta português Manoel de Oliveira.
O cineasta português Manoel de Oliveira.

Em Stains, ao norte de Paris, uma casa de subúrbio faz as vezes de um Porto do início do século 20. No interior, veteranos do cinema mundial, como a francesa Jeanne Moreau e a italiana Claudia Cardinale, vivem personagens portugueses em “O Gebo e a Sombra”. Quem comanda os atores é o perfeccionista cineasta Manoel de Oliveira, 102 anos, um sobrevivente da era do cinema mudo.

“O Gebo e a Sombra” é uma adaptação de uma peça de Raul Brandão (1867-1930). A história gira em torno de um drama familiar de Gebo (vivido pelo ator anglo-francês Michael Lonsdale) , um contador honesto que assume as falcatruas do filho João, indo inclusive parar na cadeia. O elenco também conta com uma atriz fetiche de Oliveira, a portuguesa Leonor Silveira.

As filmagens de “O Gebo e a Sombra” devem seguir até o final da próxima semana. A produtora francesa do filme, Martine de Clermont-Tonnerre, disse à Rádio França Internacional que o filme deverá ser lançado por ocasião de um grande festival, provavelmente o de Cannes, no ano que vem.

Manoel Cândido Pinto de Oliveira nasceu no dia 11 de dezembro de 1908, em uma família da burguesia industrial do norte de Portugal. Ele descobre o cinema desde os primeiros tempos, com os filmes mudos de Charlie Chaplin e Max Linder. Depois de alguns curtas, Oliveira lança seu primeiro longa-metragem, Aniki Bobó, de 1942, sobre o cotidiano de crianças pobres dos cortiços do Porto.

 

Paricia Moribe

Fonte: RFI

Foto: RFI

DEIXE UMA RESPOSTA