Zuma presta homenagem à heroína Albertina Sisulu

O Presidente sul-africano, Jacob Zuma, rendeu homenagem a Albertina Sisulu, que morreu aos 92 anos, lamentando a partida de “um dos últimos gigantes da luta” contra o apartheid.
Essa amiga próxima de Nelson Mandela, viúva do antigo vice-presidente e também já falecido Walter Sisulu, morreu na noite de quinta-feira enquanto via os noticiários televisivos em sua casa, em Joanesburgo.
Nascida como Mandela em 1918, ela foi durante décadas “uma força central para o movimento de libertação, onde criou, aconselhou, alimentou e educou a maioria dos líderes”, afirmou Jacob Zuma, num comunicado.
“A África do Sul fica eternamente grata e endividada a este pilar da libertação e essa líder acima de todas as raças no nosso país”, disse, agradecendo por ter “ensinado toda a Nação a humildade, respeito pela dignidade humana e compaixão para com os fracos”.
Enfermeira de profissão, Albertina Sisulu casou em 1944 com Walter Sisulu, que com Nelson Mandela, desempenhou um papel central na luta do Congresso Nacional Africano (ANC) contra o regime racista.
O ANC prestou uma vibrante homenagem na sexta-feira à viúva de Walter Sisulu, detida várias vezes, submetida a prisão domiciliária e banida da África do Sul pelo regime de apartheid.
Albertina Sisulu foi vista em público pela última vez em Janeiro, quando visitou Mandela no hospital. A filha, Lindiwe Sisulu, é ministra da Defesa e o filho, Max Sisulu, é deputado.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA