Verdes impõem condições para apoiar os socialistas

O Partido Verde anunciou que o encerramento das centrais nucleares em França é a condição básica para formar uma coligação com o Partido Socialista, num momento em que uma sondagem mostra que a maioria dos franceses reprova a energia nuclear.
Como as eleições em França previstas para Abril de 2012, o apoio dos Verdes, que obtiveram três por cento dos votos nas eleições de 2007, pode ser valioso para a oposição socialista, que pretende tirar do poder o presidente Nicolas Sarkozy e formar um novo governo.
“Nós faremos este pacto em oposição a Nicolas Sarkozy e com todas as forças políticas interessadas em participar no próximo governo”, disse no sábado a secretária nacional, Cecile Duflot, durante um congresso do Partido Verde, que aprovou as condições.
Uma exigência é o encerramento imediato de todas as centrais nucleares com mais de 30 anos de uso e o desmantelamento gradual de todos os outros reactores nos próximos 20 anos.
Os 58 reactores nucleares da França, operados pela companhia estatal EDF, produzem 80 por cento da electricidade do país. O desastre de Fukushima, em Março, no Japão, colocou a questão da energia nuclear no centro da agenda política na Europa. Na Alemanha, a coligação de governo anunciou repentinamente a semana finda planos de encerrar todos os reactores nucleares do país até 2022.
As outras condições dos Verdes incluem a revogação da lei de Sarkozy que aumenta de 60 para 62 anos a idade mínima para a aposentação, a proibição da extracção do gás de xisto, o abandono dos planos de construção de grandes auto-estradas e a adopção de um sistema de voto por representação.
Uma sondagem divulgada sábado mostra que mais de três quartos dos franceses apoiam o desmantelamento gradual da tecnologia nuclear nos próximos 25 a 30 anos.

De acordo com o estudo, realizado pelo instituto Ifop, somente 22 por cento das pessoas ouvidas apoiam a construção de novas centrais de energia nuclear enquanto 15 por cento querem um rápido encerramento das centrais e 62 por cento, a saída gradual.
Entre os partidários dos Verdes e dos Socialistas, 86 por cento apoiam o encerramento dos reactores enquanto entre os seguidores do partido conservador UMP, 63 por cento são a favor.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA