Vendedores devem suspender actividades na linha férrea

Caála – Os vendedores ambulantes do município da Caála, a 23 quilómetros a oeste da cidade do Huambo, foram apelados hoje a suspender a actividade comercial que praticam junto da linha-férrea para se evitar acidentes.
O administrador do município da Caála, Miguel Somakessenje, fez este apelou na sequência do anúncio do ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, da circulação nos próximos dois meses do comboio dos Caminhos de Ferro de Benguela (CFB) entre as cidades do Lobito, província de Benguela, e Huambo.
O ministro Augusto da Silva Tomás anunciou o reinício da circulação no final da sua viagem de comboio entre a província de Benguela ao Huambo, consubstanciada na fiscalização do grau de execução das obras realizadas ao longo da linha-férrea, 27 anos
depois da sua paralisação.
Para o efeito, Miguel Somakessenje adiantou que a administração do município da Caála já preparou um novo mercado paralelo, no bairro da Mangumbala, com uma capacidade para mais de dois mil vendedores.
“ A iniciativa visa assegurar a saúde pública e o bem-estar das populações no município da Caála”, disse.

Font: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA