União Internacional das Telecomunicações qualifica TIC objectivo de desenvolvimento

Luanda – O secretário-geral da União Internacional das Telecomunicações (UIT), Hamadoun Touré, considerou hoje (segunda-feira), em Luanda, as Tecnologias de Informação e Comunicação como um dos objectivos para o alcance do desenvolvimento do milénio e das economias nacionais.

Ao intervir na sessão de abertura da conferência de “Apresentação do Livro Branco e do Novo Quadro Normativo do Sector das TIC”, o responsável disse ser incumbência dos estados instalar serviços de informação e comunicação nas áreas mais distantes das sedes provinciais, municipais e comunais.

De acordo com Hamadoun Touré, nas últimas décadas assistiu-se a revolução da indústria de telefonia móvel, tendo acrescentado que os próximos anos servirão para o desenvolvimento da tecnologia de banda larga, sobretudo nos países africanos.

Para o responsável, os estados africanos precisam, igualmente, reforçar os seus investimentos no desenvolvimento das tecnologias por satélite, tendo sublinhado ser desafio da UIT trabalhar para a migração do sistema analógico de televisão para o sistema digital.

Ao apresentar o novo Livro Branco das TIC, o vice-ministro para as tecnologias de informação, Pedro Teta, mencionou que constam do instrumento projectos no domínio das tecnologias de informação, tais como de fibra óptica, de migração do sistema analógico para o digital, entre outros.

O Livro Branco inclui no domínio das tecnologias de informação projectos como o de governação electrónica, de construção do centro de dados nacional, do primeiro parque científico e tecnológico e o de inclusão digital

Realçou que o centro de dados nacional irá criar uma independência estratégica, trará suporte à governação electrónica, permitirá ao Estado ter uma estrutura robusta e segura, optimizar recursos, bem como concentrar recursos humanos qualificados.

Encerrado hoje a tarde, no workshop participaram os vice-ministros do sector para as telecomunicações e para as tecnologias de informação, respectivamente Aristides Safeca e Pedro Teta, responsáveis governamentais e técnicos de sector.

 

 

Fonte: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA