Tricolores impedem voo à formação do aeroporto

A formação do Petro de Luanda venceu, ontem, o ASA, por 28-19, no penúltimo jogo do dia, pontuável para a ronda quatro dos nacionais de andebol.
As aviadoras entraram de rompante e dispostas a contrariar o favoritismo das tricolores. Na primeira parte, a formação petrolífera experimentou certas dificuldades e só conseguiram apontar o primeiro tento aos 6 minutos. O técnico Vivaldo Eduardo viu-se na obrigação de pedir um desconto de tempo.
As aviadoras estiveram à frente do resultado até aos 23 minutos, altura em que as duas equipas ficaram igualadas a oito golos.
As tricolores conseguiram passar para a frente aos 25 minutos. Ao intervalo, o placar registava 12-11 a favor da equipa do Eixo Viário. No reatamento, as petrolíferas impediram as aviadoras de voar e impuseram o ritmo de jogo que lhes é característico.
O outro desafio opôs duas equipas de Benguela. O Electro do Lobito venceu o Marítimo por convincentes 13-27. As comandadas de Fernando Luís não deram espaço de manobra à equipa orientada tecnicamente por João Ricardo.
Ainda ontem, o 1º de Agosto triunfou diante do Ferroviário por 30-14. As pupilas de Eugénio Nunes não tiveram capacidade de resposta ante o ímpeto ofensivo imposto pelas militares às ordens de Paulo Pereira. Com esta vitória, o 1ºde Agosto soma sete pontos e ocupa o segundo lugar na tabela classificativa.
Em masculinos, o Interclube derrotou a formação da Marinha de Guerra por 34-21. Na primeira parte da contenda registou-se equilíbrio, mas na segunda os polícias demonstraram classe, tendo obrigado a equipa adversária a uma defesa mais arrojada.

A formação do Sporting de Luanda conseguiu, ontem, a primeira vitória. Foi frente ao Misto de Benguela por tangenciais 25-23. Ao intervalo, os leões venciam por diferença de quatro golos com os parciais 10-14. Apesar do equilíbrio registado na segunda parte, faltou concentração à equipa forasteira na hora das finalizações.
Para o fecho da ronda, o Ferroviário jogou com o Kabuscorp do Palanca.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA