Strauss-Kahn alega inocência

O ex-director do FMI, que está detido em prisão domiciliária em Nova Iorque acusado de agressões sexuais a uma empregada de hotel, compareceu ontem em tribunal, onde se declarou inocente.
Dominique Strauss-Kahn disse estar inocente das acusações que lhe são imputadas, como a tentativa de violação de uma empregada de hotel em Nova Iorque, a 14 de Maio. Após estas declarações o tribunal deve agora dar seguimento ao julgamento e o processo continua com a presença de um júri.
Strauss-Kahn expressou-se em inglês e disse estar inocente depois de lhe terem sido lidas as acusações, numa sala repleta de jornalistas. A audiência no tribunal penal de Nova Iorque foi conduzida pelo juiz Michael Obus, e se for considerado culpado Strauss-Kahn pode ser condenado a uma pena de até 25 anos de prisão.
O antigo responsável do FMI, de 62 anos, chegou ao tribunal acompanhado pela mulher, Anne Sinclair. A audiência foi breve. Cá fora, um grupo de funcionários de hotel manifestou a sua solidariedade para com a mulher que apresentou a acusação e ouviu-se gritar “tenha vergonha!”.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA