Situação da criança africana preocupa Igreja Metodista

Huambo – A actual situação da criança africana, caracterizada por maus tratos, preocupa a comunidade da Igreja Metodista Unida em Angola (IMUA) no Huambo, segundo o pastor Francisco da Gama.
Falando hoje à Angop, no quadro do Dia da Criança Africana, a ser assinalado a 16 deste mês, Francisco Gama adiantou que o quadro é preocupante, por causa de várias situações, principalmente da exploração e a violação dos seus direitos, ainda praticados em muitos países do continente.
“Se olharmos para as crianças africanas, elas enfrentam vários problemas, tais como violação sexual, tráfego de menores e  excesso de trabalho. Muitas delas vivem em condições precárias e acusadas de feitiçaria”, disse.
Sublinhou que os conflitos armados, que alguns países africanos têm vivido nos últimos tempos, são as principais causas de desestabilização das famílias e fazem com que as crianças abandonem as residências dos pais a procura de melhores condições de vida.Segundo o pastor, o conflito armado e o mau tratamento dos pais levam a que muitas crianças abandonem o convívio familiar.
Francisco da Gama lançou um repto para que a igreja seja um parceiro sério do Governo na erradicação dos problemas da criança africana e de Angola em particular.
Para o líder religioso, é necessário que as crianças sejam registadas, tenham direito a educação, saúde, segurança alimentar, acesso a água potável, prevenção contra a violência, tráfico, a exploração sexual, entre outros, para uma sociedade cada vez mais firme.

Font: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA