Segundo mandato para Ban Ki-moon

A Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas votou e aprovou, ontem, o sul-coreano Ban Ki-moon para um segundo mandato de cinco anos como secretário-geral da organização.
O seu primeiro mandato expira no final do ano.
Sem rodeios para criticar os líderes árabes que enfrentam protestos nos seus países, mas questionado por grupos de defesa dos direitos humanos, a reeleição de Ban Ki-moon, que conta com o apoio das principais potências, era dada como certa há vários meses.
O antigo Ministro dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Sul, de 67 anos, anunciou a sua candidatura há duas semanas e recebeu o apoio formal do Conselho de Segurança, na sexta-feira. Sem adversários, a Assembleia-Geral, de 192 membros, confirmou o novo mandato por consenso.
“Nunca houve dúvida. Pode não ser o favorito de todos, mas ninguém tem uma razão para impedir a sua reeleição”, afirmou um diplomata à France Press.
O Secretário-Geral da ONU tem como principal desafio as mudanças climáticas e prometeu defender os manifestantes que desafiam os governantes nos países árabes.
“Foi um privilégio enorme liderar esta organização e, se tiver o apoio dos Estados-membros, vai ser uma grande honra continuar”.


Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA