Republicanos pedem aos eleitores que desistam de candidato perfeito

Os republicanos norte-americanos pediram aos seguidores, pouco decididos em relação aos aspirantes à Casa Branca, para porem de lado os sonhos de um adversário “perfeito” que possa enfrentar o Presidente Barack Obama nas eleições presidenciais de 2012.
“Não se deixem obcecar pela pureza. Em política, a pureza é uma perdedora”, disse o governador do Mississippi, Haley Barbour, aos activistas, durante uma conferência. “É a unidade que ganha as eleições”, afirmou.
Uma nova sondagem de opinião realizada pelo canal de televisão “NBC” e o “Wall Street Journal” revelou que os eleitores republicanos estão muito divididos em termos de satisfação relativamente aos candidatos que se apresentaram até agora.
Um outro estudo CNN/Opinion Research Corporation dá apenas 24 por cento das preferências ao ex-governador de Massachusetts, Mitt Romney, até agora o favorito à indicação republicana.
O governador do Mississippi convidou os republicanos a lutarem pelo seu candidato preferido nas primárias, mas advertiu que “não teremos um candidato perfeito”.
As eleições primárias vão arrancar no dia 1 de Fevereiro, em New Hampshire, com o Partido Republicano cheio de tensões internas entre moderados e a ala ultraconservadora do Tea Party, pelo que a corrida surge com um resultado imprevisível. “O voto conservador dividido é o melhor que pode acontecer à esquerda”, concluiu Barbour, provocando muitas reacções entre a multidão.
“Não há maneira”, disse Phil da Costa, um homem de 42 anos que apoia a congressista republicana Michele Bachmann. “Estou farto de renunciar aos nossos princípios, quando o fazemos, perdemos”.

Barbour “tem toda a razão”, disse John Wells, que se encontrava igualmente no local. “Vamos escolher um candidato que represente a melhor alternativa a Obama, e vamos ganhar”, afirmou.
Os candidatos que disputam a indicação republicana para as eleições de 2012 enfrentaram, no dia 13 de Junho, o primeiro grande debate televisivo com uma estratégia comum: atacar a política económica de Obama.
As eleições presidenciais americanas realizam-se em Novembro do próximo ano.

 

 

 

 

Fonte:  Jornal de Angola

 

DEIXE UMA RESPOSTA