Religioso apela tocoístas à melhoria na evangelização

Uíge – O representante provincial da Igreja Tocoísta, Veloso Armando, recomendou domingo no Uíge à mudança da actuação dos fiéis no trabalho de evangelização.

Veloso Armando lançou o apelo a 98 delegados da Igreja do Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoista), no Uíge, idos das 54 paróquias da província, que participaram na segunda reunião alargada que teve ínicio sábado.

Para o religioso, a execução da missão evangélica convida a todos que reconheçam e lembrem-se das promessas de Jesus Cristo depois do término do sistema iníquo de coisas.

Como disse, todos os obreiros devem trabalhar na pacificação dos espíritos e cultivar a paz de Deus, porque a tranquilidade espiritual é a base fundamental de um cristão.

A segunda reunião, que durou dois dias, recomendou o cumprimento escrupuloso das conclusões saídas da primeira reunião que decorreu no município da Damba, tendo recomendado que a direcção de cada paróquia trabalhe no sentido de materializar o programa que visa a implementação dos projectos de impacto, nos domínios social, cultural, económico e eclesiástico.

Foram apreciados, entre outros programas, a capacitação dos membros para a elaboração dos relatórios de serviços, análise do plano para o desenvolvimento do programa de ensino e aprendizagem, a debilidade existente na área de saúde, a propagação do VIH/Sida e a chamada de atenção dos pastores para a alteração do quadro.

Face a essa questão, os delegados recomendaram à igreja para que faça esforços na criação de novas parcerias com distintas instituições da sociedade civil e estatal, nos domínios de saúde, educação, agropecuária, com a constituição de cooperativas e outras associações, para incentivar a actividade do campo.

Ao agradecer o gesto, o responsável local da secção do património histórico da Direcção Provincial da Cultura, Pedro Miguel, disse que a cultura conta com a parceria das igrejas, garantindo que o seu sector está a trabalhar para atender às necessidades das confissões reconhecidas.

Fonte:angop

DEIXE UMA RESPOSTA