Rei de Marrocos promete reformas constitucionais

Num discurso considerado histórico, o rei de Marrocos, Mohammed VI, anunciou na sexta-feira a realização de amplas reformas constitucionais, com objectivo de consolidar as instituições democráticas, garantir os direitos humanos e a liberdade de expressão no país.
Entre as propostas do monarca figura a concessão de mais poder ao primeiro-ministro eleito por voto popular e ao Parlamento, reduzindo assim os poderes do próprio rei que, no entanto, seguirá como chefe das Forças Armadas e como a principal autoridade religiosa do país.
Mohammed realçou que se manterá como o “guia” e “árbitro supremo” do país. O rei quer dotar o país de uma nova língua oficial (o berber, além do árabe). As propostas serão submetidas a referendo popular no dia 1 de Julho.

Transição significativa

“Falo-vos (referindo-se ao povo) para renovar o nosso compromisso conjunto de alcançar uma transição significativa para um Estado de direito e instituições democráticas”, disse o rei no discurso.
O sucesso das medidas, caso venham a ser aprovadas, poderá servir de termómetro para outros países árabes que enfrentam manifestações populares.
O discurso do rei foi alvo de comemoração popular na noite de sexta-feira. Apesar da euforia, muitos activistas continuam cépticos quanto ao alcance das reformas propostas, alegando que a monarquia do país, existente há 400 anos, já propôs várias mudanças com êxito.

 

 

Fonte: Jornal de Angola

 

DEIXE UMA RESPOSTA