Registada redução da caça furtiva no Parque Nacional do Bicuar

Lubango – A caça furtiva que dizimava várias espécies de Animais, com maior incidência para elefantes, no Parque Nacional do Bicuar, reduziu consideravelmente nos últimos cinco anos, garantiu hoje, no Lubango, o chefe de brigada do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) da Huíla, Dumbo Kangopito.

Falando à Angop sobre as acções implementadas para conter a caça ilegal na reserva natural do Bicuar, localizada nos municípios de Quipungo, Matala e Gambos, numa extensão territorial de sete mil e 900 quilómetros quadrados, o responsável afirmou que as medidas aplicadas se traduziram numa redução significativa das acções ilegais.

O responsável explicou que a redução da caça ilegal na reserva Deve-se ainda a reposição da administração do parque, bem como o aumento de fiscais e meios como viaturas, telecomunicações (GPS, telefones satélites) e intensificação da fiscalização em zonas de maior concentração da população animal.

Dumbo Kangopito afirmou que desde 2006 a caça no parque deixou de ser preocupação das autoridades governamentais, pois, anteriormente, devido à falta de segurança na reserva, os caçadores dizimaram várias espécies de animais, como preferência para o elefante, o búfalo negro e rinoceronte.

Com os níveis de segurança que o parque possui, de acordo com a fonte, várias espécies de animais como gnus (Boi-Cavalo), búfalo negro e o próprio elefante estão a regressar ao habitat normal, situação que deixa satisfeito os técnicos da administração local e do Instituto de Desenvolvimento Florestal na Huíla.

“Graças a Deus a caça furtiva está controlada. Agora a perspectiva é trabalhar no sentido de terminar com as práticas nas localidades do leste, pois ainda se assiste a um abate indiscriminado de animais para o consumo e comércio ”, ressaltou.

O Parque Nacional de Bicuar conta com 60 técnicos, dos quais 15 com formação específica e os restantes são ex-militares.

O Parque do Bicuar sofre grandes variações entre o dia e a noite, a vegetação predominante é a savana com árvores e arbustos, o mamífero que caracteriza a reserva é o búfalo negro, existindo também onças, leopardos, gnus, olongos, inhalas, changos e elefantes.

Fonte: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA