Ramos-Horta quer bancos angolanos em Timor-Leste

O Presidente de Timor-Leste, José Ramos-Horta, manifestou ontem, em Luanda, o desejo de ver bancos angolanos a investir no seu país, por se situar numa zona extremamente dinâmica. “Estamos interessados em explorar com Angola possibilidades de investimentos angolanos em Timor, com o estabelecimento de bancos angolanos”, declarou aos jornalistas no final da visita que efectuou à SONILS, base de apoio à indústria petrolífera.
José Ramos-Horta referiu que a instalação de bancos angolanos no seu país não seria necessariamente por causa de Timor-Leste, mas porque o país se encontra numa região da Ásia que é imensa e rica e extremamente dinâmica.
O Presidente de Timor-Leste referiu igualmente que o seu país pretende de Angola quadros técnicos em várias áreas, porque tem carência de recursos humanos em todas as áreas da administração pública. “Com vontade política, podemos explorar essas áreas”, sublinhou. Em relação à SONILS, disse que era uma “obra enorme” que o impressionou. “É um projecto de extrema importância para a economia angolana”, frisou, acrescentando que Timor-Leste tem um projecto parecido, que está a iniciar, mas de menor dimensão. A SONILS (Sonangol Integrated Logistic Services) foi criada em 1995 e opera um terminal no Porto de Luanda. Tem escritórios, armazéns, cais de embarque de passageiros, equipamentos de transporte e manutenção. Ainda ontem, José Ramos-Horta depositou, em Luanda, uma coroa de flores no monumento dedicado ao primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto.

 

 

 

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA