Qatar tentou ganhar voto argentino com ajuda a clubes em dificuldades

Um documento que chegou ao jornal “Sunday Times” fala de uma proposta feita pelo Qatar para ganhar o voto da Argentina para a organização do Mundial de 2022 em futebol, com a promessa de resgatar os clubes em dificuldades económicas do país sul-americano. No documento, publicado no domingo, a equipa que defendeu a proposta do Qatar propôs “fortalecer” a posição do presidente da Federação Argentina e vice-presidente da FIFA, Julio Grondona, no seu próprio país.
O documento foi elaborado, diz o “Sunday Times”, pela Bruson-Marsteller, escritório belga de relações públicas contratado pelo Qatar para promover a sua candidatura.
O documento descreve a crise económica que atinge a primeira divisão argentina em 2009 e culpa a federação chefiada por Grondona.
”Grondona foi alvo de manifestações por parte dos adeptos na porta do seu gabinete esta semana.
Fontes próximas da Argentina Hacienda dizem que os clubes precisam do governo 78,43 milhões de dólares”, diz o documento.
Em reacção à saída desse documento a público, um porta-voz do Qatar’2022 explicou que este foi apenas um dos muitos documentos preparados pelo Comité do Qatar ou seus assessores e que nenhuma das propostas nele contidas foi posta em prática. Grondona, que preside o Comité de finanças da FIFA, revelou na semana passada que tinha votado pelo Qatar e não pelos EUA, porque “votar nos EUA seria como fazê-lo para a Grã-Bretanha”, revela o jornal dominical, que se distingue pelas críticas à actual direcção da FIFA.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA