População do Cazengo tem água potável

A periferia do município do Cazengo, na cidade de Ndalatando, começou a receber água potável da nova fonte do rio Mucari, recentemente inaugurada pela ministra do Planeamento, Ana Dias Lourenço.
A distribuição da água por camiões cisternas adquiridos pelo Governo Provincial do Kwanza-Norte, visando atenuar as carências das populações foi substituída pelo simples gesto de abrir e fechar a torneira.
As cisternas circulavam todos os dias nos bairros de Ndalatando, sobretudo o 28 de Agosto e 11 de Novembro o que causava grandes transtornos às pessoas, que se acotovelavam para encher os seus recipientes, dado que era muita gente para pouca cisterna.
Actualmente, com a água a jorrar nas torneiras da cidade e em vários fontanários espalhados pelos bairros periféricos, as populações melhoraram consideravelmente a qualidade de vida.
Antonica dos Prazeres, moradora há mais de dez anos no bairro Sambizanga, referiu que a sua família deixou de percorrer longas distâncias, para conseguir água. Mas pediu mais fontanários no seu bairro porque há muita gente a fazer bicha naqueles que existem.
“Estamos muito contentes, porque sempre consumimos água das cacimbas e agora temos água pura mesmo aqui no bairro, mas pedimos que ponham mais fontanários, porque devido às enchentes a confusão também aumenta. Somos muitos e a água é pouca”, referiu.
Maria Helena, doméstica e moradora na Rua da Emissora, há mais de 30 anos, frisa que o número de cidadãos na cidade cresce todos os dias, por isso é mais difícil o acesso à água. Mas desde que ficaram concluídas as obras de reabilitação da rede de captação e distribuição de água a partir da represa do rio Mucari, localizada a 17 quilómetros de Ndalatando, com capacidade de 96 litros por segundo, a situação ficou normalizada.

Para além das 1.600 ligações domiciliares nas ruas de Ndalatando, o projecto inclui 96 fontanários construídos nas zonas suburbanas. Para além da nova fonte do rio Mucari, com capacidade de jorrar 90 litros por segundo, Ndalatando, que tem neste momento 150 mil habitantes, tem mais duas condutas construídas na década de 50. A primeira foi lançada a partir da fonte de Santa Isabel e a outra do Monte Redondo.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA