População de Menongue chora pela morte do padre

Os restos mortais do padre João Bosco – falecido na terça-feira, em Luanda, vítima de doença prolongada – foram ontem a enterrar no cemitério municipal de Menongue.
João Bosco, nascido em 8 de Março de 1953, em Minas Gerais, na República Fiderativa do Brasil, chegou à cidade de Menongue em 1983, onde passou a ser diácono, no dia 20 de Novembro do mesmo ano, e ordenado sacerdote, em 1984, pelo então bispo da diocese, D. Francisco Viti.
Entre as várias actividades, chefiou, durante dois anos, os destinos do seminário menor de Menongue. Posteriormente foi nomeado, por D. José de Queiróis Alves, responsável da zona pastoral sul, que se estendia entre as localidades de Missombo e Caiúndo, funções que desempenhou até à morte.
O padre João Bosco desenvolveu várias actividades de cariz social, prestando assistência a deficientes e mutilados de guerra no único centro ortopédico do Kuando-Kubango, onde era gestor.
Além disso, era responsável pelo centro de reeducação de menores, nos arredores da cidade, onde cuidava de 153 adolescentes carentes e em conflito com a lei. Fundou também a Organização Não-Governamental “Quinta Mbembwa” – quinta da paz, em português – que se dedica a projectos agrícolas, a assistir pessoas necessitadas e a apoiar mutilados de guerra.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA