Papa propõe solução estável

O Papa Bento XVI defendeu, ontem, no Vaticano, a criação de um Estado Palestiniano independente, durante um encontro com o presidente da Autoridade Nacional Palestiniana.
Na reunião, que decorreu na biblioteca privada do líder da Igreja Católica, Bento XVI e Mahmoud Abbas concordaram sobre a necessidade de se encontrar uma solução “justa e duradoura” para o conflito entre Israel e a Palestina, para garantir a criação de um Estado palestiniano independente.
Um comunicado da Santa Sé informa que Bento XVI e Abbas “tiveram uma reunião particular durante 17 minutos num ambiente de cordialidade, após a qual o dirigente da ANP se reuniu com o secretário de Estado, o cardeal Tarcisio Bertone, e com o arcebispo Dominique Mamberti”.
O documento refere que durante o encontro “foi analisada a atormentada situação no Médio Oriente e a necessidade de se alcançar uma solução justa e duradoura para o conflito entre israelitas e palestinianos, para assegurar que os direitos de todos sejam respeitados e se cumpram as legítimas aspirações do povo palestiniano a um Estado independente”.O comunicado salienta que os Estados israelita e palestiniano “devem viver seguros e em paz com os seus vizinhos” e acrescenta que “nesse quadro e com o apoio da comunidade internacional e um espírito de cooperação e de abertura à reconciliação, a Terra Santa pode conhecer a paz”.
No encontro, Bento XVI e Mahmoud Abbas analisaram a situação dos cristãos nos territórios palestinianos – onde a maioria dos habitantes é árabe – e a sua contribuição para a vida social e a convivência entre os povos.
O líder palestiniano chegou ao Vaticano com uma delegação de nove pessoas, incluindo o membro do comité executivo da Organização de Libertação da Palestiniana (OLP), Saeb Erekat. Este foi a quinto encontro oficial entre Bento XVI e Mahmoud Abbas. O primeiro foi a 3 de Dezembro de 2005, quando o líder palestiniano convidou o Papa para visitar Jerusalém e Belém e entregou um passaporte especial emitido pela ANP.
O segundo ocorreu em Abril de 2007 no Vaticano. Os dois líderes voltaram a encontrar-se em Maio de 2009 em Belém, durante a estada do Pontífice na Terra Santa. O quarto ocorreu em Outubro de 2009 no Vaticano.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA