Município dos Bundas tem novo sistema de captação e distribuição de água potável

População deixa de percorrer longas distãncias em busca de água potável
População deixa de percorrer longas distãncias em busca de água potável

A população do município dos Bundas, 365 quilómetros a Sul da cidade do Luena, tem uma nova escola do ensino primário, com quatro salas e um sistema de captação e tratamento da água potável.
As infra-estruturas foram inauguradas pelo governador João Ernesto dos Santos “Liberdade”, no âmbito do programa de investimentos municipais.
O governador inaugurou também uma casa para os médicos e ainda o centro emissor da Rádio Nacional de Angola e da TPA.
O administrador municipal dos Bundas, José Mandunda, revelou ao Jornal de Angola que estão agendados no programa de investimentos municipais, a construção de mais escolas, unidades sanitárias e outras infra-estruturas.
Para este ano, disse José Mandunda, estão também programadas a continuidade das construções e apetrechamento das administrações municipais e comunais, a construção de centros de captação e tratamento de água e a extensão da rede de energia eléctrica. O administrador José Mandundalembrou também que em breve ficam concluídas as casas sociais para a juventude, o que vai atenuar a carência habitacional de muitos jovens no município.
José Mandunda ficou satisfeito com os resultados alcançados nos últimos nove anos de paz: “o município caminha rumo ao desenvolvimento, embora existam dificuldades nos sectores da educação e saúde”. O administrador informou que vai dar apoio às associações de camponeses das comunas do Lutembo, Lucula e Luvuei, pelo facto de serem consideradas zonas potencialmente agrícolas no cultivo de diversos produtos.
“Vamos continuar a incentivar a população camponesa a produzir mais, aumentar consideravelmente os níveis de rendimento, para combater a fome e a pobreza”, disse o administrador José Mandunda.

 

O administrador municipal dos Bundas reconheceu também que a pesca continental constituiu uma das principais actividades na região e pode ser uma mola impulsionadora para o desenvolvimento do município.
A população do município dos Bundas é, em grande parte, regressada da Zâmbia, onde se refugiou. A guerra que assolou fortemente a região, fez com que grande parte dos seus habitantes procurasse refúgio na zâmbia. A agricultura e a pesca foram retomadas, através da criação de cooperativas e associações de camponeses e de pescadores, o que permitiu afastar o especto da fome, declarou José Mandunda.
As estradas ainda continuam em mau estado, o que dificulta as trocas comerciais e mantém algumas localidades isoladas. As autoridades tradicionais do município estão satisfeitas com os esforços que estão a ser levados a cabo pelo Governo Provincial na recuperação e construção de infra-estruturas, que têm mudado a imagem da vila.
O soba Mwene Mbande III disse que as novas infra-estruturas que o município ganhou, vão dando boa imagem principalmente na sede do município: “é uma mais valia para esta população, porque a nova escola e a rede de distribuição de água potável, vão diminuir as carências que a população tem vindo a enfrentar na falta destes bens”.
O soba disse que o município tem falta de uma escola do primeiro ciclo do ensino secundário e falta de médicos de todas as especialidades, situação que tem contribuído para o índice da mortalidade infantil na região.

Muitos alunos poucas escolas

Abraão Justo, morador na vila de Lumbala Nguimbo, elogiou os esforços do Executivo traduzidos na construção de infra-estruturas sociais, que têm vindo a facilitar a vida de milhares de pessoas no município. “Hoje, as crianças têm escolas em boas condições para aprendizagem, a circulação é feita através de autocarros públicos, que tornam as viagens mais agradáveis e confortáveis, o Projecto Água para Todos é uma realidade”, reconheceu o munícipe.
O município tem poucas escolas para satisfazer a procura de alunos, pelo que a população recomenda a construção de novas salas e o enquadramento de mais professores, para inserir maior número de alunos no sistema educativo.
Este ano lectivo, o sector da educação no município dos Bundas matriculou mais de 16 mil alunos do ensino primário e secundário, mas por falta de salas e de professores, mais de cinco mil alunos ficaram fora do sistema de ensino.
No quadro do “Programa ABC”, mais de 200 adultos frequentam aulas de alfabetização, cujo processo é considerado satisfatório, tendo em conta os resultados obtidos durante as avaliações sistemáticas por parte dos alfabetizados.

 

 

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA