Município da Ingombota constrói uma subestação

Uma nova subestação eléctrica começa a ser construída nos próximos dias na área do Kinaxixi para melhorar o fornecimento de energia ao município da Ingombota, em Luanda.
A informação foi avançada ontem por Albano João, membro do Conselho de Administração da EDEL, durante um encontro do Conselho de Concertação e Auscultação Social do município da Ingombota, presidido pela administradora Susana de Melo.
O encontro de ontem serviu basicamente para informar os membros do conselho sobre o que tem sido feito pelas autoridades municipais e colher opiniões e sugestões destes, visando a melhoria da imagem do município.
Susana de Melo reconheceu que, sendo os moradores que dão vida ao município, a sua contribuição, através de reclamações e sugestões, vai permitir a elaboração de um programa para o ano de 2012.
A administradora da Ingombota apresentou ao conselho de auscultação a execução financeira do primeiro trimestre e os resultados das tarefas que foram realizadas no âmbito do programa do desenvolvimento rural e combate à pobreza.
Susana de Melo apresentou igualmente o balanço do programa dos cuidados primários de saúde a nível do município e os resultados dos trabalhos desenvolvidos nas áreas da educação, energia e águas e saneamento básico.
No âmbito do programa de desenvolvimento rural e combate à pobreza, Susana de Melo acentuou que o Executivo disponibilizou para o município da Ingombota 277,2 milhões de kwanzas para serem usados este ano.“Destes valores já foram usados, no primeiro trimestre, 89,199 milhões de kwanzas, que foram inseridos nos programas de reforço institucional e utilizados no pagamento dos salários dos funcionários da administração e na aquisição de combustível e lubrificantes”, sublinhou Susana de Melo.Sobre o sector da educação, a administração municipal da Ingombota realizou obras de reabilitação em seis escolas municipais. Já no sector da energia e águas, a administração distribuiu água ao fontanário do Kilombo e ao bairro Boavista.

As obras de reabilitação ligeira dos centros de saúde, postos médicos e a aquisição de equipamentos para o centro de saúde da ilha de Luanda receberam uma fatia de 37,444 milhões de kwanzas.
Na ocasião, a vice-governadora de Luanda para a área Política e Social, Juvelina Imperial, disse ser política do governo provincial a adopção de uma metodologia participativa com os cidadãos para que, em conjunto, se encontrem mecanismos para tornar Luanda um lugar melhor e mais saudável para se viver.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA