Município da Ganda precisa de uma repartição das Finanças

Ganda – O chefe da Repartição Municipal do Comércio da Ganda, 221 quilómetros a este da cidade de Benguela, António Monteiro, chamou, hoje (terça-feira), a atenção das autoridades competentes sobre a necessidade da instalação de uma o Repartição Fiscal das Finanças na localidade, de modo a viabilizar a arrecadação de receitas para os cofres do Estado.

Em declarações à Angop, o responsável disse que a inexistência de uma Repartição Fiscal das Finanças no município da Ganda está a condicionar o trabalho das autoridades no que diz respeito à arrecadação de receitas em benefício do Estado.

Segundo António Monteiro, os agentes económicos e demais cidadãos deslocam-se à cidade de Benguela, percorrendo 221 quilómetros de carro, para depositar impostos industriais e outros emolumentos na Repartição Fiscal das Finanças local.

Acrescentou que alguns agentes económicos não pagam os impostos alegando gastos com o transporte até a cidade de Benguela.

Sugere como alternativa a deslocação regular àquele município de uma equipa da Repartição Fiscal das Finanças de Benguela, para que os agentes comerciais da Ganda possam pagar os impostos.

Afirmou ser importante a expansão dos serviços da Repartição Fiscal das Finanças ao município da Ganda, para possibilitar a arrecadação das receitas para os cofres do Estado.

Destacou que no sector comercial estão a ser feitos, actualmente, investimentos por parte de agentes privados, interessados no fomento dessa actividade e no desenvolvimento da Ganda.

O sector do Comércio controla no município da Ganda 160 estabelecimentos de venda a retalho, 37 a grosso, 29 de prestação de serviços e 259 tabernas, um total de 520 unidades comerciais em funcionamento.

 

 

Fonte: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA