Modernização garante rapidez e eficiência dos serviços de identificação civil do país

O Ministério da Justiça vai emitir este ano cerca de dois milhões de Bilhetes de Identidade em todo o território nacional, fruto da modernização e expansão dos Serviços de Identificação Civil em Angola, assegurou no Namibe, o director nacional de Arquivo e Registo Criminal, Irondino Muxiri.
Usando da palavra durante o seminário sobre “A modernização dos serviços de identificação e registo criminal em Angola”, Irondino Muxiri realçou que a emissão do novo Bilhete de Identidade se inscreve naquilo que considerou a verdadeira administração pública digital.
No decurso da actividade, promovida pelo comité provincial do MPLA do Namibe, o director nacional de Arquivo e Registo Criminal sublinhou que, após mais de um ano da entrada do processo de modernização, a produção deste importante documento já ultrapassou mais de um milhão.
Assegurou que o Ministério da Justiça tem, actualmente uma das maiores bases de dados do país.
“O incremento do projecto de modernização teve como base metodológica o conhecimento pormenorizado de todas as dificuldades e a realidade nacional em matéria de identificação civil e criminal em diversas províncias e vários municípios do país”, referiu.
Acrescentou que, no decurso do incremento do projecto, o Ministério da Justiça se deparou com instalações bastante degradadas, falta de energia eléctrica, sistema informático e quadros locais pouco qualificados. “Devem compreender que a luta foi bastante árdua. Foi com verdadeiro espírito de missão que se conseguiu o pretendido”, enfatizou.Irindino Muxiri acrescentou que a rede de comunicações existente na altura não correspondia minimamente aos requisitos exigidos e a solução encontrada foi instalar uma nova.
Lembrou que o certificado de registo criminal também é emitido através do sistema “one line” em todas as repartições de identificação civil.“O novo certificado regista níveis de segurança, quer pelas características do formulário, quer pela avaliação da sua autenticidade através do portal. A tecnologia usada também é nova”, assegurou.

Entre as vantagens do sistema “one line”, aquele responsável destacou a rapidez na entrega do documento, a descentralização da produção e a redução do número de documentos exigidos para a sua emissão. “Hoje estamos numa luta para digitalizarmos todo o documento”. Referiu.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA