Jornal de Angola e “El Mundo” estreitam parceria estratégica

A ministra da Comunicação Social, Carolina Cerqueira, disse ontem, em Luanda, que é preocupação do Chefe do Executivo a formação constante e aperfeiçoamento dos jornalistas angolanos.
“Angola só pode ser um estado democrático de direito se os jornalistas souberem interpretar os sinais do tempo, o evoluir da sociedade, as preocupações dos cidadãos no processo do desenvolvimento,”, afirmou Carolina Cerqueira, no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, durante o encerramento do curso dirigido aos profissionais da comunicação social da Edições Novembro e de órgãos privados, ministrado por profissionais do diário espanhol El Mundo.
Carolina Cerqueira disse que “um jornalista informado, atento, ousado e que saiba enfrentar as dificuldades e transpor as barreiras, faz do jornalismo angolano um jornalismo de excelência em África e no mundo”.
A ministra convidou os profissionais da informação a participarem, com responsabilidade e sobretudo com grande sentido de ética, na discussão do Pacote Legislativo sobre a Comunicação Social: “a discussão do Pacote Legislativo sobre a Comunicação Social está na ordem do dia da agenda política do nosso país, os jornalistas angolanos estão a discutir o seu futuro e o seu papel na sociedade”.
Aos formandos que concluíram o curso que resultou da parceria entre o Jornal de Angola e o El Mundo, Carolina Cerqueira disse que a especialização é uma mais-valia que vai servir para trabalhar, mas também para transmitir os conhecimentos adquiridos durante a formação aos colegas nas redacções.
Em nome do Executivo, a ministra agradeceu à embaixada de Espanha pelo empenho demonstrado na realização do curso e manifestou o desejo de poder contar com este apoio para responder à aplicação de estratégias no sector.
O presidente do Conselho de Administração da Edições Novembro, José Ribeiro, agradeceu o empenho do Ministério da Comunicação Social na pessoa da ministra Carolina Cerqueira, que tornou possível a realização do curso, e agradeceu à Cooperação Espanhola pelo apoio que tem prestado na formação dos profissionais da Edições Novembro.

“O jornalismo angolano está a renascer com grande força e nós somos dos que acreditam que a informação é a base do regime democrático”, sublinhou José Ribeiro, para quem “o jornalismo angolano sempre deu prova de grande qualidade”. A propósito, destacou “o papel fundamental” do jornalismo angolano no período da independência. “Tivemos bons jornais, boas rádios”, disse.
Participaram no curso, que teve a duração de 30 dias, directores provinciais, editores e jornalistas da Edições Novembro e de órgãos privados.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA