Instituto de Relações Internacionais entregou diplomas a novos técnicos

O Instituto de Relações Internacionais entregou ontem diplomas de licenciatura aos alunos finalistas.
A alegria estava estampada no rosto de Paulo Mota quando recebia o diploma de licenciatura em Relações Internacionais. O agora licenciado não conseguia esconder a alegria e emocionado disse: “Consegui! Acabei o meu curso com sucesso.”
Paulo Mota fazia parte de um grupo de 51 estudantes que receberam, ontem, o “canudo”, no auditório do Ministério das Relações Exteriores, na presença de familiares e amigos.
Paulo Mota, que se formou em quatro anos, declarou que foram anos difíceis, mas, com o empenho e o encorajamento dos familiares e amigos, conseguiu vencer mais uma etapa na vida: obter a licenciatura em Relações Internacionais.
A emoção contagiou os familiares dos novos licenciados e o corpo docente presente no acto. A cerimónia contou também com a presença da secretária-geral do Ministério da Relações Exteriores, Cuandina de Carvalho, em representação do ministro George Chikoty. Depois de receberem o canudo, os finalistas, familiares e docentes assistiram a uma oração de sapiência feita pelo director do Instituto de Relações Internacionais, Kimawu Daniel.
Cuandina de Carvalho felicitou os recém-licenciados e pediu-lhes que continuem a estudar, uma vez que a área do saber que abraçaram exige uma permanente actualização dos conhecimentos para melhor servirem os interesses do Estado angolano.
Cuandina de Carvalho afirmou que foi oportuna a visão do Executivo em criar o Instituto de Relações Internacionais, que tem a missão de ministrar cursos de reciclagem e de formação de quadros afectos ao Ministério.

Cuandina de Carvalho encorajou a direcção do Instituto de Relações Internacionais a participar na materialização da estratégia do Executivo no âmbito da política externa, pela via da formação de especialistas capazes de investigar, formular políticas e contribuir para o crescimento e desenvolvimento económico e social do país.
Cuandina de Carvalho afirmou que “não devem perder de vista que a conjuntura internacional é dinâmica nos dias de hoje” e aconselhou preparação para os novos desafios.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA