INAC apela ao respeito dos direitos da criança

A chefe dos serviços provinciais do Instituto Nacional da Criança (INAC) na Lunda-Norte, Madalena Alentejo, apelou quinta-feira, na cidade do Dundo, aos adultos a respeitarem mais os direitos da criança.A responsável acrescentou que as igrejas e redes de protecção devem redobrar os esforços para que o país possa cumprir os direitos de menores, consignados nos 11 compromissos, através de palestras.
Madalena Alentejo, que falava no âmbito da jornada dedicada à criança africana, entre os dias um e 16 de Junho, assegurou que, na Lunda-Norte, os 11 princípios de protecção de menores de idade estão a ser cumpridos.
A chefe do INAC naquela parcela do país enalteceu os esforços que o governo local tem envidado dentro do programa de desenvolvimento da região e da melhoria das condições de vida das famílias, onde estão inseridas as crianças.
Fruto disso, salientou, o executivo da Lunda-Norte continua a apoiar todas as acções que visam fazer com que as crianças cresçam saudáveis, em ambiente harmonioso, tenham direito à educação, à assistência médica gratuita e bem-estar social.
Madalena Alentejo disse que, apesar das imensas dificuldades que a instituição enfrenta para levar avante todas as acções de protecção e de defesa dos direitos das crianças, a capacidade e empenho dos funcionários do Instituto da Criança local e parceiros sociais tem ultrapassado tais vicissitudes e garantido que se implementem a maioria dos projectos.
O encerramento da jornada dedicada à criança, na Lunda-Norte, foi ainda marcado pela distribuição de merendas e brinquedos pelo INAC aos menores internados nos hospitais provincial do Dundo e municipal do Chitato. Numa mensagem, as crianças beneficiárias das merendas e brinquedos exortaram o governo local e a sociedade a prestarem maior atenção aos problemas que lhes afectam.
A directora do hospital municipal do Chitato, Zuraida Palanca, louvou a iniciativa do INAC, uma vez que se encontram internadas muitas crianças de famílias desfavorecidas afectadas por várias doenças. Para a responsável clínica, a criança deve ser tratada sempre com dedicação e amor. Por isso, encorajou os adultos a seguirem o exemplo do INAC.

Zuraida Palanca apelou às entidades do governo, de igrejas, empresários e sociedade em geral a respeitar os princípios de protecção e defesa dos direitos que as crianças merecem.

 

 

 

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA