Hospital de Icolo e Bengo debate-se com falta de meios para testagem do Vih/Sida

Catete – O hospital municipal de Icolo e Bengo, província do Bengo, se debate com a falta constante de meios inerentes à testagem do Vih/Sida, dificultando o trabalho dos especialistas e a prejudicar os doentes.

Em declarações hoje à Angop, a técnica de enfermeira do CATV, Maria Manuel Meno, disse existir irregularidade no abastecimento dos meios e medicamentos para o acompanhamento e tratamento de doentes infectados.

Já a enfermeira Domingas Sabino de Sousa, ligada ao programa de testagem, transmissão e corte vertical, disse que a situação está igualmente a afectar o atendimento das mulheres grávidas.

Segundo disse, muitos casais infectados com a doença e que procuram os serviços do referido programa regressam defraudados devido às dificuldades que a instituição sanitária atravessa.

Apontou que o programa de Aconselhamento, Testagem e Corte Vertical acompanha apenas dez mulheres infectadas das 30 seropositivas controladas, sendo que as outras desistiram das consultas.

O CATV testou de Janeiro a Maio do corrente ano 169 pessoas, dos quais 163 tiveram resultados negativos e seis positivos, sendo que em Abril o centro não funcionou pelas causas já enunciadas.

Em 2010 foram testadas 225 pessoas, fruto dos quais se encontraram 25 pessoas positivas e 190 com resultados negativos, enquanto em 2009 este centro prestou serviços a 1.252 cidadãos, tendo detectado 30 seropositivos e mil 225 negativos.

Em 2008 mil 884 populares ocorreram ao CATV numa primeira experiência, pois foi numa fase inicial e deste resultou em 58 testes positivos e mil 368 negativos.

Fonte: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA