Grupo Horizonte Njinga Mbande exibe “Casado Sem Casa” e “Lueji”

O grupo Horizonte Njinga Mbande apresenta hoje, às 21h15, no seu auditório, o espectáculo “Casado Sem Casa”, que narra o caso de uma jovem grávida, Vanessa, expulsa de casa pelos pais.
Segundo o encenador do grupo, Adelino Caracol, a peça foi escrita com base no quotidiano luandense e leva ao público a questão da gravidez na adolescência e o casamento forçado entre os jovens.
Na peça, conta, o namorado de Vanessa, Justo, é obrigado a acolhê-la em casa dos seus familiares e para a sustentar é levado a fazer vários sacrifícios, que os pais da jovem não valorizam, criando um conflito de interesses. “São situações que acontecem diariamente na vida dos jovens angolanos e por isso decidimos trazer a análise do público”, disse.
O grupo representa amanhã, em duas sessões, uma às 19h45 e outra às 21h15, a peça “Lueji”, adaptada do romance de Pepetela. A peça, disse o encenador, conta a história mitológica da formação do Império Lunda e a repercussão social criada, principalmente na relação poder e género, pela transmissão do governo do reino para uma mulher.
Para Adelino Caracol, “Lueji” é uma oportunidade de mostrar aos jovens a necessidade de preservar a história e a cultura angolana, a partir da visão dos seus investigadores, e de provar que já havia luta de género em Angola “muito antes desta modernização”. Com a duração de uma hora e 15 minutos, a peça, que tem nos papeis principais a actriz Edusa Chindecasse e os actores Valdano Lukizaia e David Inoque, reconstrói o universo do livro de Pepetela, escrito em 1989.
Como um dos grupos teatrais mais antigos do país, o Horizonte Njinga Mbande já conquistou o Prémio Nacional de Cultura e Artes e tem várias participações em festivais de teatro internacionais.
Em 2009 esteve na segunda edição do Festival de Teatro de Língua Portuguesa, que decorreu no Rio de Janeiro e no qual participaram 11 grupos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e Portugal.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA