Formação à distância na comuna do Gungo

A Escola de Formação de Professores (EFP) no Kwanza-Sul procedeu sexta-feira, na localidade do Eval Guerra, comuna do Gungo, ao arranque da formação contínua e à distância de professores, enquadrada no plano mestre do Ministério da Educação nesta vertente.
O objectivo da formação à distância, de acordo com os responsáveis da EFP, é o de aumentar os níveis académicos dos professores sem estes terem de se deslocar do local de trabalho. O programa prevê que cada ciclo de formação tenha a duração de dez meses, findos os quais os participantes obtêm a equivalência do ensino médio vigente. O arranque do referido curso, dirigido essencialmente aos professores que leccionam no meio rural, conta com um quadro de 47 docentes que, periodicamente, se deslocam à localidade.
Os formandos recebem formação em Língua Portuguesa, Matemática, Geografia, História, Química, Física, Biologia e disciplinas metodológicas de ensino.
No acto de abertura, o director da Escola de Formação de Professores, Francisco Júnior, explicou que os formadores se deslocam a Eval Guerra para distribuírem os blocos de autoformação, nos quais constam os conteúdos, e 15 dias depois tiram dúvidas e fazem a avaliação.
Além disso, será realizado um projecto “Zona de Influência Pedagógica” (ZIP) que congregará as várias escolas que vão receber formação. “Em resposta às solicitações que nos foram feitas, a EFP do Sumbe deu início, no passado ano lectivo, em regime piloto, à formação contínua e à distância no Eval Guerra, tendo envolvido 36 formandos, e os resultados foram animadores”, disse.
Apesar desses indicadores, Francisco Júnior esclareceu que no ano passado as condições não foram as melhores, devido ao défice de professores e às dificuldades de transportes, sublinhando que o empenho e sacrifício dos docentes e dos formandos tornaram possível concretizar o objectivo.
No final do curso, os professores formados elaboram uma monografia, que têm depois de defender.

À semelhança do Eval Guerra, a formação contínua e à distância de professores está a decorrer nos municípios do Mussende e Kibala, em cooperação com a Íbis, Organização Não-Governamental dinamarquesa.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA