Federação Mundial da Juventude repudia operação militar na Líbia

Os membros da Federação Mundial da Juventude Democrática em África (FMJD) condenaram ontem, em Luanda, os ataques da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) à Líbia, durante a reunião regional organizada pela JMPLA.
O repúdio dos jovens está expresso no discurso do vice-presidente da Federação Mundial da Juventude Democrática para a região africana, Justin Chusaru. O líder juvenil disse que a intervenção da OTAN, apoiada pela França, Reino Unido e pelos Estados Unidos da América, violou o que as Nações Unidas determinaram na sua resolução. As Nações Unidas, recordou, previam a criação de uma zona de exclusão aérea que visasse a protecção dos civis. O que acontece, sublinhou, é a invasão do território líbio pelas forças da OTAN e isto não dignifica os africanos nem a sua juventude. Justin Chusaru convidou a juventude africana a unir-se e a lutar contra todo o tipo de neocolonialismo e a violação de autodeterminação dos povos africanos. O secretário para a Política Económica e Social do MPLA, Manuel Nunes Júnior, considerou que a Federação Mundial da Juventude Democrática é uma organização que sempre lutou pela paz no mundo, desde a sua criação em 1945. A Federação, disse Manuel Júnior, lutou sempre pela liberdade dos povos, pela democracia, independência e a igualdade dos povos. Manuel Nunes Júnior reconheceu que esta organização contribuiu, também, para a independência dos países da África Austral, para o fim do “apartheid” e pelo fim do colonialismo no continente. “Foi também grande o papel desta organização democrática na formação de jovens, com realce para a formação académica e política”, disse.
Manuel Nunes Júnior disse que Angola está a investir no desenvolvimento do homem, com o objectivo de aumentar a produtividade das empresas e a sua capacidade de inovação.
“Estamos a edificar em Angola uma sociedade que seja um modelo de sucesso e de referência nos mais diversos domínios para África e para o mundo”, referiu.
O primeiro secretário nacional da JMPLA, Sérgio Luther Rescova, disse que a primeira reunião regional da Federação Mundial da Juventude Democrática em África foi oportuna porque serviu para analisar a actual situação do continente. Sérgio Luther Rescova informou que foram debatidos no encontro os conflitos nalguns países do continente e o quadro actual do movimento associativo juvenil africano com realce para as organizações membros da Federação Mundial da Juventude Democrática em África. Os participantes avaliaram o relatório de actividades da federação a nivel do continente. Aprovaram, também, o plano de actividades deste ano e as regras de adesão de novos membros à organização. A JMPLA acolheu a reunião no âmbito do último encontrou da Federação Mundial da Juventude Democrática em África, que decorreu no Brasil, e que determinou que os comités deviam reunir regularmente nas regiões e nos respectivos continentes.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA