Fátima Jardim lançou alertas

A ministra do Ambiente, Maria de Fátima Jardim, admitiu na Ilha do Mussulo, em Luanda, que tem sido progressiva a desertificação de algumas zonas do território nacional. Fátima Jardim apontou as províncias do Kuando-Kubango, Moxico, Lunda-Norte e Lunda-Sul como as que apresentam “graves problemas” relativamente à desertificação. A ministra falava à Angop, à margem do lançamento do projecto “Adopte uma Árvore”, que visa a preservação da flora e da biodiversidade de Angola.
O projecto foi lançado no quadro do Dia Mundial de Combate à Seca e à Desertificação assinalado sexta-feira, 17 de Junho.
A titular da pasta do Ambiente referiu que, anteriormente, a desertificação avançava cerca de cinco por cento por ano. “Todos os dias aquelas áreas são devastadas e a percentagem de desertificação e seca muda” disse, salientando que o aumento da temperatura, a falta de chuvas e as queimadas florestais são responsáveis pela desertificação.
O Executivo criou programas de acções que visam promover o combate à seca e à desertificação do país. Exemplo disso, disse Fátima Jardim, é o programa lançado ontem na Ilha do Mussulo e que prevê a plantação de 700 árvores, sem contar com as 100 milhões que se pretende colocar em outras regiões do país.
Fátima Jardim considerou ainda importante a educação ambiental e a consciência das comunidades, para serem reduzidos, gradualmente, os prejuízos sobre o ambiente.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA