Ex-combatentes com casa própria

Uma vila residencial, com três mil casas, está a ser construída na localidade do Secêlo, Icolo e Bengo, para viúvas e antigos combatentes e veteranos da Pátria.
O projecto compreende quatro fases de execução e as primeiras casas podem ser entregues ainda no decorrer deste ano, revelou a entidade gestora do projecto, o consórcio “Comandante Loy”.
Os quatro empreiteiros contratados para a construção da vila vão, em cada seis meses, erguer cem casas, numa área de 200 hectares.
A vila “Kussanguluka” vai ter, além de uma zona residencial, serviços de saúde, educação, zonas de lazer e áreas para a prática de actividades agrícola e agro-pecuária.
As províncias de Luanda, Benguela, Kwanza-Sul e Uíge já contam com projectos concluídos, enquanto Malange aguarda pelo lançamento do programa.
As casas vão ser entregues a antigos combatentes e veteranos da Pátria inscritos na Caixa Social e enquadrados em associações reconhecidas pelo Executivo. O governador do Bengo sublinhou que a dignificação do antigo combatente deve constituir prioridade em tempo de paz. João Bernardo de Miranda referiu que as entidades privadas ligadas ao ramo imobiliário podem solicitar terras para a construção de casas na província, devendo apenas cumprir com os requisitos estabelecidos por lei.
O município de Icolo e Bengo, com 3.819 quilómetros quadrados e cerca de 59 mil habitantes, é constituído pelas comunas de Bom Jesus, Cabiri, Cassoneca, Caculo Cahango e Catete.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA