Estudantes universitários criam associação de defesa

Os estudantes da Universidade Kimpa Vita defendem a criação de uma associação para regularizar o processo de ensino e aprendizagem nas suas unidades orgânicas.
O presidente da Associação dos Estudantes da Escola Superior Politécnica do Uíge, Manuel Vita, referiu que com a criação da universidade “várias questões relacionadas com os estudantes do Uíge e do Kwanza Norte vão merecer melhores soluções por parte da reitoria e dos docentes”.
Falando durante uma excursão ao rio Longe, município do Bungo, em que participaram 100 estudantes, Manuel Vita, que dirige a associação da primeira unidade orgânica da Universidade Kimpa Vita, referiu que com a criação de mais escolas, vários programas e projectos dos estudantes vão exigir a existência de organismos que intervenham na regularização destas actividades, “para não colidirem com os princípios e regulamentos da universidade”.
O dirigente estudantil acrescentou que existem muitos assuntos que merecem consenso entre o reitor da universidade, dos docentes e dos alunos, por isso, advogou a existência de um organismo que responda às várias inquietações levantadas pelos estudantes para a melhoria da prestação de um serviço de ensino harmonioso e de qualidade”.  Manuel Vita explicou que está em marcha a constituição de associações de estudantes em todas as faculdades e institutos para depois ser criado um órgão representativo dos alunos junto da reitoria da universidade.
O estudante Bosseke Mansoni valorizou o papel das associações de estudantes da Escola Superior Politécnica do Uíge e da Faculdade de Direito pelo contributo que dão na regularização das relações entre os estudantes com as direcções das escolas e com os professores.
“A associação de estudantes tem sabido dirigir as suas acções na Universidade Kimpa Vita, pois já traz uma experiência da Universidade Agostinho Neto. Com o tempo as coisas vão melhorar ainda mais”, disse Manuel Vita.
Osvaldo Baptista, do curso de Contabilidade e Gestão da Escola Superior Politécnica do Uíge, entende que a constituição da associação de estudantes da Universidade Kimpa Vita vai permitir que os estudantes da região académica tenham uma ferramenta que serve de elo de ligação com os dirigentes máximos da instituição. “É necessário que as acções das associações estejam verdadeiramente firmes”.

 

 

 

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA