Estudantes trabalhadores percorrem mais de 300 Km/dia para o ISCED

Namibe – Vários estudantes trabalhadores do Namibe percorrem diariamente mais de 300 quilómetros por dia para frequentarem o Instituto Superior de Ciência da Educação (ISCED) no Lubango, província da Huíla, apurou hoje (domingo) a Angop junto de alunos nesta condição.

A cidade do Namibe, capital da província com mesmo nome está separada do Lubango (Huíla) a 180 quilómetros, passando pelo morro da serra da Leba.

“A situação é tão difícil que já provocou inúmeras mortes de quadros locais quando tentavam fazer curso superior no Lubango “, afirmam alguns estudantes.

“Todos nós somos trabalhadores. Funcionamos das 8:00 às 14 horas e partimos para Lubango onde frequentamos aulas das 18 às 23 horas, retornando ao Namibe no dia seguinte para apresentar-se às 8 horas ao serviço” disseram, lamentando que, por dia dormem em média três a quatro horas.

Nos dias em que terminam as aulas às 23 horas, chegam ao Namibe às duas ou três horas de madrugada, e às 8 horas apresentarem-se ao trabalho, que é bastante cansativo.

Face a este quadro, os estudantes-trabalhadores reclamam bolsas locais por parte do executivo da governadora Cândida Celeste da Silva.

Defendem que seria razoável se o governo do Namibe concedesse bolsas aos que frequentam o ISCED no Lubango, uma vez que a província só agora abriu o ensino superior.

“Já existem trabalhadores que esperam defender as monografias e outros estão no 2º e 3º anos, estes poderiam beneficiar de bolsas do governo provincial para facilitar a sua formação em prol do desenvolvimento da província que se pretende” sustentam os estudantes trabalhadores.

Segundo os estundantes-trabalhadores, a bolsa consistiria na manutenção dos seus salários, propinas pagas pelo governo da província, de modo a permitir que estes fixem temporariamente residência no Lubango até conclusão da sua licenciatura.

Namibe abriu este ano lectivo o 1º ano do núcleo da Universidade Mandume ya Ndemufayo, enquanto vários trabalhadores locais frequentam do 2º ao 4º ano no ISCED na província vizinha da Huíla.

Fonte: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA