Espanha rejeita hipótese de resgate

A ministra espanhola das Finanças, Elena Salgado, disse, na segunda-feira, à TVE, que o país “não está, nem vai estar, à beira de um resgate”, mas manifestou-se preocupada com a evolução do comportamento dos juros da dívida. Os preços genéricos da Bloomberg revelam que os juros da dívida espanhola se situam em 3, 706 por cento no prazo a dois anos e em 4,386 por cento, a três.
Na maturidade a cinco anos, os juros estão entre 4,97 e 5,717 por cento, a dez. É neste prazo que a Espanha regista o valor mais elevado dos últimos 11 anos, refere a agência de informação norte-americana.
“Cada vez que pedimos dinheiro, há muitas pessoas disponíveis a emprestar-nos o que precisamos, muitos fundos, muitos fundos soberanos, muitos países, muitos investidores”, afirmou Elena Salgado, à Bloomberg .
Quanto ao plano de austeridade que Atenas tem de aprovar no Parlamento para o novo plano de ajuda financeira, que deve rondar os cem mil milhões, por um período de três anos, a ministra espanhola referiu que não coloca a hipótese de não ser aprovado.
Uma das mais recentes medidas, anunciadas pelo Ministério espanhol das Finanças, prevê que o país efectue em 2012, em relação a este ano, um corte de 3,8 por cento nas despesas, o que estabelece um novo tecto nos gastos públicos.
Elena Salgado dissipou todas as dúvidas quanto a um aumento do IVA, garantindo que este imposto de valor acrescentado não sobe, pois se isso acontecesse tinha efeitos negativos no consumo privado.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA