Ensino das línguas africanas contribui para o êxito escolar

Mbiavanga Fernando, professor universitário e mestre em línguas africanas, defendeu, na segunda-feira, em Luanda, a inserção das línguas nacionais no sistema de ensino, como principal catalisador do êxito escolar nos países africanos com elevado analfabetismo.
As nações africanas, afirmou, devem ter a coragem de progredir, “inserindo as suas línguas nacionais no ensino para ultrapassarem os problemas de insucesso escolar que se verificam em muitos países” do continente.
Mbiavanga Fernando, manifestou as opiniões, quando dissertava sobre “línguas africanas perante a globalização”, no Marco Histórico 4 de Fevereiro, no quadro da Semana de Arte e Cultura Africana.
A adopção da política de ensino de línguas nacionais no sistema educacional, referiu, garante a permanência dos estudantes nas escolas e permite passar o testemunho das várias línguas nacionais e dialectos de forma gradual.
“A ideia não passa por ministrar os conteúdos em línguas nacionais, mas inserir disciplinas com as diferentes línguas do primeiro ciclo até a universidade”, disse, frisando:
“Em África temos um choque cultural bastante grande, a criança fica traumatizada e abandona o sistema escolar porque cresce com a língua materna e quando vai para a escola é obrigada a comunicar numa língua para ela estranha”.
As línguas nacionais, declarou, podem ocupar um lugar instrumental ou activo e simbólico num mundo mais globalizado.

“O papel simbólico é ajudar na identificação da raiz de cada indivíduo”, referiu.
Wyza e Dodó Miranda foram os grandes destaques da gala de encerramento da Semana de Arte e Cultura Africana, realizada no Marco Histórico 4 de Fevereiro.
Os dois artistas, referências em Angola nos seus estilos musicais, apresentaram canções de sua autoria interpretadas nos estilos afro jazz e gospel.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA