Desempenho eficaz dos efectivos assenta nos meios e na disciplina

A Polícia de Intervenção Rápida (PIR) conseguiu manter os níveis de operatividade dos seus efectivos desde a sua fundação graças à educação moral e cívica e à realização de acções de requalificação técnica. A constatação é do comandante provincial interino da Polícia Nacional, Joaquim Manuel, sábado, naquela cidade, por ocasião dos 19 anos daquele órgão operativo.
O comandante provincial interino da Polícia Nacional do Uíge disse que a província precisa de uma polícia actuante, disciplinada, próxima do cidadão e sempre pronta a dar resposta às suas exigências.
Dirigindo-se aos efectivos da Polícia de Intervenção Rápida, o subcomissário Joaquim Manuel reconheceu que a eficiência do trabalho da corporação anima e encoraja as autoridades, apesar de algumas dificuldades que caracterizam o seu dia-a-dia.
O comandante da 10ª Unidade da PIR, Miguel Martinho, disse que o bom desempenho demonstrado pelos efectivos da PIR deve-se às acções de superação, tendo em conta que foram dotadas de ferramentas de índole policial e militar para poderem corresponder às exigências do momento.
“A Polícia de Intervenção Rápida foi criada para prevenir a manutenção e a reposição da ordem pública no combate à criminalidade violenta e organizada”, referiu, acrescentando que com adopção de novas técnicas e meios o desempenho não podia ficar aquém das expectativas. O comandante da Polícia de Intervenção Rápida (PIR) no Uíge reconheceu que a melhoria da prestação e actuação dos seus efectivos passou pela promoção de várias jornadas de reflexão com os efectivos da PIR sobre a conduta, missões e incumbências no combate à criminalidade.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA