Crédito no Brasil registou crescimento

Brasil regista resultados excelentes
Brasil regista resultados excelentes

O stock de crédito na economia brasileira cresceu 1,3 por cento em Abril em relação ao mês anterior, atingindo 1,776 triliões de reais (900 mil milhões de dólares), o equivalente a 46,6 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).
Em Março, o stock equivalia a 46,5 por cento do PIB. O ritmo de crescimento em Abril é maior do que o verificado em Março, quando o saldo das operações de crédito do sistema financeiro teve uma expansão de um por cento, em comparação a Fevereiro.
De acordo com dados divulgados ontem pelo Banco Central, em 12 meses até Abril, a expansão do crédito já soma 21 por cento. Nos últimos três meses, o crescimento foi de 3,7 por cento e no ano até Abril a expansão atingiu 4,1 por cento. O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, já avisou que considera um ritmo condizente de aumento do crédito uma faixa entre dez e 15 por cento.
Pelos dados do BC, o chamado crédito livre, aquele feito com recursos que os bancos podem usar onde quiserem, houve aumento de 1,4 por cento no stock das operações em Abril em comparação a Março. A média diária de concessões do crédito livre cresceu 7,1 por cento em Abril em relação a Março. No acumulado do ano, esse indicador tem alta de 11,4 por cento e no trimestre encerrado em Abril, alta de 20,1 por cento. Nos últimos 12 meses, a elevação foi de 14,7 por cento.
As concessões acumuladas do crédito livre tiveram queda de 3,1 por cento em Abril em relação a Março, registando queda de oito por cento no ano.
No trimestre terminado em Abril, as concessões acumuladas têm alta de 8,7 por cento e em 12 meses, de nove por cento. As concessões acumuladas para a pessoa física tiveram queda de 2,3 por cento no mês e de três por cento no ano. No trimestre encerrado em Abril, houve alta de sete por cento e nos últimos 12 meses, as concessões para pessoa física subiram 9,9 por cento.
Para pessoa jurídica, as concessões tiveram queda de 3,6 por cento no mês e de 11,1 por cento no ano.

 

 

 

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA