Construção de infra-estruturas ganha corpo na vila de Caungula

As obras de construção de infra-estruturas de impacto social, no município do Caungula, província da Lunda-Norte, que estão a dar outra imagem à localidade, continuam num ritmo aceitável, apesar das dificuldades de transportação dos materiais de construção civil, devido ao mau estado das estradas.
Na sede desta parcela da Lunda-Norte está a ser construído um edifício de apoio à administração municipal, uma residência do tipo T3, assim como decorre a reabilitação de uma escola primária com seis salas.
A par da reconstrução da sede da administração comunal de Camaxilo, estão ainda a ser construídos um centro de saúde, na regedoria do Txifapo, uma escola primária, com duas salas, um posto médico, no bairro Monamema, assim como uma instituição escolar e duas casas T2 para professores e enfermeiros.
Donacié Wassamba, responsável da empresa de construção civil que está a comparticipar na reedificação do município de Caungula, revelou que as obras, iniciadas este ano, estão orçadas em cerca de 1,2 milhões de dólares.
A responsável esclareceu que, caso não haja constrangimentos, a conclusão e consequente entrega das obras às autoridades locais pode acontecer em Agosto do próximo ano.
Na sede municipal, disse a responsável da construtora, foi instalada uma rede de distribuição de energia eléctrica, composta por um gerador de 450 KVA e 140 postos de iluminação pública, enquanto a comuna do Camaxilo conta com um gerador de 165 KVA e 60 PT.
Donacié Wassamba disse igualmente que está projectada, a partir do mês de Outubro deste ano, a construção de uma escola de seis salas e um mercado informal na sede comunal de Camaxilo, bem como dois postos policiais, nas sedes municipal e comunal. O mau estado das estradas naquela região tem sido a principal dificuldade das empresas de construção civil, o que leva que as mesmas acarretem prejuízos adicionais, resultantes de avarias constantes dos camiões e recepção atrasada dos materiais essenciais para o bom andamento das obras.

Essas dificuldades, disse Donacié Wassamba, fazem com que muitas empresas de construção  não aceitem contratos de trabalho nos  municípios do interior da província da Lunda-Norte.
Para diminuir estas dificuldades, a responsável da referida empresa  salientou que com os escassos meios técnicos que a empreiteira dispõe estão a ser feitas intervenções de tapa buracos nas ruas e troços  rodoviários de Wassamba, Lué e Txissema, para facilitar a transportação do material de construção para a região do Caungula.

 

 

 

Fonte: jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA