Chegada do cabo de fibra óptica

Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação José de Carvalho da Rocha
Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação José de Carvalho da Rocha

O ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José de Carvalho da Rocha, garantiu que, a partir de Abril de 2012, a população angolana vai começar A sentir os efeitos concretos do projecto relacionado com o cabo submarino de fibra óptica, de acordo com a Rádio Nacional de Angola (RNA).
A Estação emissora citou declarações do governante proferidas aquando da chegada a Angola do cabo de fibra óptica, um investimento do sector das telecomunicações avaliado em 650 milhões de dólares, no qual o Estado angolano entrou com uma participação de 90 milhões.
O projecto interliga a África do Sul a Portugal, passando por outro 12 países, ao longo de uma extensão de 14 mil quilómetros de cabo. A parte angolana do projecto vai ser administrada por um consórcio de operadores do sector das telecomunicações, como a Angola Telecom, Movicel, Unitel e a MS-Telcom.
O director técnico do consórcio, António Nunes, disse que o impacto nas comunicações é imediato. “Vamos enveredar pelas tecnologias de informação de navegação, mais precisamente a Internet”.
O cabo de fibra óptica entrou em Angola por um bairro pesqueiro do município da Quissama, na província do Bengo, e, a partir daí, está a ser estendido a todo o país.
Segundo José da Rocha, os angolanos vão começar a ver os ganhos do investimento a partir de Abril do próximo ano, com “muito mais informação, graças a uma Internet com mais velocidade e capacidade”, referiu.

 

 

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA