Cavaco Silva faz apelo ao voto

O Presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, fez ontem uma comunicação ao país onde apelou ao voto nas eleições legislativas que se realizam hoje e referiu que quem se abstiver perde a legitimidade para criticar o próximo Governo.
“Na grave situação económica e social em que o país se encontra é um dever de todos os cidadãos manifestarem a sua vontade e dizerem quem deve assumir a responsabilidade de governar Portugal nos próximos quatro anos”, escreveu Cavaco Silva na sua página na rede social Facebook.
O Presidente da República considera que “quem não votar perde a legitimidade para depois criticar as políticas do Governo” que vai ser eleito nas legislativas de hoje.
“Abster-se de votar é demitir-se do seu próprio futuro”, insistiu o chefe de Estado português.
Os eleitores portugueses observaram ontem a jornada de reflexão, antes de afluírem hoje às urnas para escolher um novo Parlamento, o objectivo principal destas legislativas antecipadas.De acordo com a Lei, nas últimas 24 horas foram proibidas manifestações públicas relativas ao processo eleitoral.
Por força desta Lei, até às 20h00 de hoje, está proibida a publicação, difusão, comentários, análises e projecção de resultados de qualquer sondagem ou inquérito de opinião, directa ou indirectamente relacionados com o acto eleitoral.
Convocadas pelo Presidente Cavaco Silva, em Abril último, as eleições de hoje são resultado da grave crise económico-financeira em que Portugal se vê mergulhado.

Os partidos com mais hipóteses de eleger deputados são o Partido Social Democrata (PSD), o Partido Socialista (PS), o CDS-PP, a CDU e o Bloco de Esquerda.
O PSD, dirigido por Pedro Passos Coelho, é apontado pelas sondagens como estando à frente nas intenções de voto.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA