Banco leva prémio de arte à análise dos cabindenses

A presente edição do prémio BAI Arte vai ser realizada, pela primeira vez, na cidade de Cabinda, para dar mais destaque às artes plásticas e aos seus criadores daquela província, informou ontem, numa nota de imprensa, o Banco Africano de Investimentos (BAI).
Criado para promover a arte e a cultura nacional, o prémio, afirma a nota, foi realizado durante 11 anos consecutivos em Luanda.
A exposição do BAI Arte em Cabinda, realça ainda o documento, tem o lema “Investimos nos Artistas da Terra” e reúne obras de escultura e pintura de oito artistas da província.
Com curadoria do artista plástico Jorge Gumbe, o público amante das artes vai apreciar as propostas criativas dos escultores Ngonga Nkula Ribeiro, Samuel Nkai, António Francisco, Estêvão Kiony Komba André, Paulo Mvumbi, António Nzinga e Mateus Miguel, o único pintor que integra a mostra.
O BAI, organizador da actividade, pretende com o projecto manter a sua filosofia de valorização e dar maior divulgação à Cultura e às Belas Artes, enquanto expressões artísticas depositárias da memória colectiva dos angolanos.
Dentro da sua responsabilidade social, o BAI tem no Carnaval a sua área de maior intervenção, no domínio cultural, por se tratar do apogeu de celebração e o retrato mais abrangente da riqueza da diversidade cultural nacional.
“Desde 2007 que o Banco Africano de Investimentos apoia as celebrações do Carnaval ao institucionalizar o Prémio BAI Canção Carnaval, um contributo para o resgate da canção do Entrudo”, afirma a organização na nota deimprensa.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA