Ler Agora:
Aurélio Martins luta em S. Tomé
Artigo completo 3 minutos de leitura

Aurélio Martins luta em S. Tomé

A pobreza em  São Tomé e Príncipe só vai terminar quando houver estabilidade política, disse, sábado, Aurélio Martins, durante o lançamento da sua campanha às eleições presidenciais que se realizam no dia 17 de Julho.
Aurélio Martins, candidato do MLSTP/PSD, garante que caso seja eleito, vai acabar com a instabilidade política e governativa, tratar das questões de saúde, ambiente, segurança alimentar, prestar maior atenção às famílias e portadores de deficiência, promover a descentralização e reduzir a insularidade: “mas precisamos primeiro de encontrar estabilidade política para resolvermos os problemas do nosso povo”.
Com o slogan “Um tempo novo para todos”, Aurélio Martins diz que é o candidato “capaz de personificar a unidade da nação e de ser árbitro no equilíbrio harmonioso das instituições democráticas eleitas. Temos de ser capazes de inaugurar uma nova era democrática, elegendo o diálogo e a tolerância na nossa prática de governação. Já não temos tempo para alimentar a instabilidade e recuar no nosso processo de desenvolvimento”.
Um combate cerrado contra a corrupção, que tem sido um entrave ao desenvolvimento de São Tome e Príncipe, concretizar o sonho de igualdade das mulheres, dar às crianças e aos idosos o devido enquadramento no processo de desenvolvimento do país, abrir aos jovens janelas de oportunidades para ultrapassarem a problemática do desemprego, são algumas das prioridades assumidas pelo candidato Aurélio Martins.
Na política externa, Aurélio Martins realçou as históricas relações de cooperação com Angola, Gabão e Nigéria. E elegeu Angola como “um parceiro estratégico com o qual devemos fortalecer os laços políticos, económicos e empresariais, dando maior solidez ao percurso solidário entre os nossos povos desde a luta de libertação nacional”.
Aurélio Martins, candidato presidencial do MLSTP/PSD, disse que a sua entrada na disputa eleitoral “é um acto de patriotismo para inverter a miséria que assola o país. Passaram 36 anos que somos independentes mas continuamos a colher desilusões, frustrações e vidas despedaçadas. Por isso, entro nesta corrida com a profunda convicção de que os cidadãos de São Tomé e Príncipe são merecedores de uma vida plena e com maior dignidade”.
Aurélio Martins garantiu que se vencer as eleições  é sua intenção devolver a dignidade e o respeito que o país vem perdendo, por causa da “irresponsabilidade de alguns políticos envolvidos na gestão governativa”.

O presidente do MLSTP/PSD lamentou a falta de oportunidades no país que o viu nascer e que o levou a emigrar à procura de melhores condições de vida. Aurélio Martins  prometeu aos eleitores que vai fazer uma campanha centrada no debate de ideias, “e deixo as calúnias para aqueles que não podem apresentar soluções.”
Aurélio Martins nasceu em São Tome e Príncipe. Tem 42 anos e foi imigrante em Angola. É licenciado em Relações Internacionais pela Universidade Privada de Angola (UPRA). Foi eleito presidente do MLSTP/PSD no congresso ordinário deste ano, com a moção estratégica “um tempo novo”.

 

 

Fonte: Jornal de Angola

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »