Administrações municipais e comunais passam a ter veterinários e agrónomos

As administrações municipais e comunais da província do Huambo vão contar, proximamente, nas equipas de trabalho, com engenheiros, agrónomos, técnicos médios agrários e veterinários, anunciou, na terça-feira, o governador provincial.
Faustino Muteka, que fez a revelação numa formação promovida pelo Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), disse que o “grande sonho” do governo provincial é “colocar um engenheiro agrónomo, médico veterinário ou um técnico médio agrário como adjunto do administrador dos municípios e comunas para atenderem especificamente a questões da agricultura e desenvolvimento rural a nivel da província ”.
O governor provincial, prometeu, vai trazer para o Huambo, transportado já pelo comboio, calcário dolomítico para melhorar a qualidade dos solos.
No âmbito das orientações do Executivo, frisou, vai ser feito tudo para a presente campanha agrícola ser melhor do que as anteriores.
“Há que tornar o meio rural mais atraente e rentável com a construção de escolas e de hospitais, mas se não houver comida todo o investimento é nulo”, referiu o governador da província Faustino Muteca.
Na abertura do seminário, o secretário de Estado da Agricultura lembrou que as Estações de Desenvolvimento Agrário são um espaço onde os produtores procuram apoios e conhecimentos para melhorarem a produção.
Amaro Tati recordou que, em 2005, a comuna de Calussinga, na província do Bié, foi um “grande exemplo” do funcionamento das escolas no campo. Até 1974, disse, o petróleo de Angola “era a agricultura” e o país teve a maior fazenda cafeícola do mundo, a cada, com 150 mil hectares cultivados. O governo provincial, frisou, prevê a venda de adubos a “preços aceitáveis” para a melhoria da qualidade dos solos, evitando a sua acidez.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA