Activistas do Art Uncut protestam contra os U2

O grupo Art Uncut, que combate a evasão fiscal de algumas empresas e pessoas famosas, promete realizar, no próximo festival de Glastonbury, um protesto contra a banda irlandesa U2 e o seu vocalista, Bono, noticiou, ontem, o jornal britânico “The Guardian”.
“Bono diz-se preocupado pelo mundo em desenvolvimento, mas a sua banda foge ao pagamento de impostos, uma prática que prejudica os países pobres”, declarou o porta-voz do Art Uncut.
O jornal britânico refere os activistas não pretendem interromper o espectáculo de apresentação do grupo irlandês, mas vão exibir cartazes com frases como “Bono, pague o que deve”.
Os activistas também querem chamar a atenção do impacto da evasão fiscal nos hospitais e escolas irlandesas.
Em 2006, o U2 foi bastante criticado por transferir parte dos negócios para a Holanda em resposta ao tecto impostopela Irlanda às bonificações fiscais dos artistas.
Sheila Killian, da Universidade de Limerick (Irlanda), disse que o tecto financeiro de 250 mil euros estabelecido pelas autoridades é suficientemente generoso para a maioria dos artistas.
Richard Murphy, outro activista citado pelo The Guardian, afirmou que “se Bono acha que é um irlandês deve pagar os impostos, como outros o fazem. Só assim sai da confusão em que se meteu”.

O agente do grupo, Paul McGuinness, referiu que o “U2 actua a nível internacional e paga impostos globalmente”.
“Pelo menos, 95 dos seus espectáculos são fora da Irlanda e a banda paga diferentes tipos de impostos pelo mundo”, acrescentou Paul McGuinness.
Formada em Dublim, Irlanda, em 1976, a banda é composta por Bono (vocalista e guitarrista), The Edge (pianista), Adam Clayton (baixista), Larry Mullen Jr. (percussionista).
Com mais de 30 anos de estrada, o U2 é uma das mais populares bandas de rock do mundo desde a década de 80. Os seus concertos são únicos e um verdadeiro festival de efeitos especiais, além de ser uma das que mais arrecadam anualmente.

Fonte: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA