Ler Agora:
Ariovalda Gabriel:A perseguição pelo lugar ao sol
Artigo completo 3 minutos de leitura

Ariovalda Gabriel:A perseguição pelo lugar ao sol

Ary não é daquelas cantoras que, num ápice, surgiu na ribalta da música angolana. Ela conquistou fama e inúmeros fãs à custa de largos anos de muito trabalho, ousadia e determinação.
Ary, de verdadeiro nome Ariovalda Eulália Gabriel, começou a ganhar notoriedade em 2002, após participar no concurso “Estrelas ao Palco”, uma co-produção da emissora Luanda Antena Comercial (LAC) e a Televisão Pública de Angola (TPA), que se realiza anualmente em Luanda.
A cantora já perseguia com obstinação um lugar ao sol no “musical” angolano, actuando sistematicamente em várias cidades do país.
Os primeiros passos no mundo da música começou a dá-los com tenra idade, sob a observação atenta da mãe e dos irmãos, a quem diz dedicar “muito amor e carinho”. Depois das aulas e das tarefas domésticas cantava temas de artistas que a fascinavam.
Huilana, de 25 anos, Ary prepara há algum tempo o segundo “rebento”, depois do seu primeiro disco “Substituições” que continua em voga. “Estou a fazer um disco com todos os pormenores, nos estilos semba, kizomba e zouk. “Está a ser produzido pelo Heavy C, mas tem ainda as participações de Paul-G e C-4 Pedro, músicos que admiro muito”, informou.
A jovem artista diz que o seu próximo álbum vai “fazer diferença porque estou a tentar fazer algo bem diferente, indo ao gosto dos meus fãs, aliás, o meu apanágio é sempre fazer o melhor”.
A coqueluche da nova geração musical é hoje das poucas artistas que vive exclusivamente da música. “Nos dias que correm alguns artistas em Angola já podem viver da música. Eu, graças a Deus, faço parte do leque de músicos que vive bem à custa do seu trabalho. Isso significa que a música angolana já é muito valorizada em quase todos os sectores da nossa sociedade”, frisou.

Quando a convidam para actuar, Ary para lá de se regozijar com o simples facto da iniciativa, deleita-se por estar a interagir com as pessoas, algo que a galvaniza ainda mais em palco.
“Sempre preferi actuar em lugares onde há um número expressivo de pessoas. Sinto-me melhor nestes casos, porque me revejo num ambiente de massas. Na verdade, não sinto o mesmo prazer quanto canto em ambientes restritos”, confessou.
Ary não pensa para já casar e constituir família: “tenho noivo mas não tenho planos, para breve, de constituir família. Por enquanto, tenho outras prioridades”, assegurou.

Ary Responde

Como é que aproveita
os tempos livres?
Sou uma pessoa muito caseira. Quando não tenho nada a fazer relacionado com a minha actividade profissional, limito-me a ver televisão, sobretudo programas musicais, leio bastante, cozinho, convivo com a família e naturalmente sobra sempre tempo para estar com o meu noivo.

Tem alguma professora de dança, ou quando está em palco dança simplesmente ao sabor da música?
Não tenho professora de dança. Sempre gostei de dançar. Quando criança as pessoas já diziam que dançava muito bem. Quando estou em palco vou dançando conforme os impulsos da música e das circunstâncias. Gosto tanto de dançar como de cantar, embora para a música tenha mais dedicação.

Fonte: Jornal de Angola

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »